Lockdown e distanciamento social no Agreste Pernambucano: o que aconteceu em Caruaru e Bezerros?

Esta nota apresenta informações epidemiológicas relacionadas à COVID-19 e também sobre o distanciamento social antes, durante e depois do lockdown decretado em duas importante cidades do Agreste Pernambucano: Caruaru e Bezerros. Ambas as cidades cumpriram dez dias de lockdown (de 26 de junho a 5 de julho de 2020) por determinação estadual. De acordo com o secretário de saúde do estado de Pernambuco, os dois municípios foram responsáveis por 71% do aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Agreste Pernambucano na semana que antecedeu o decreto de lockdown.

 

Dados e modelo

 

Os dados epidemiológicos (quantidade de infecção e óbitos) da COVID-19 utilizados nesta nota foram coletados dos sites oficiais das prefeituras de Caruaru e Bezerros, os quais são atualizados diariamente. Já os dados de distanciamento social foram fornecidos pela InLoco, uma startup de tecnologia que tem acompanhado a movimentação de cerca de 60 milhões de brasileiros por meio de localização de celulares. A informação é proveniente de aplicativos parceiros instalados voluntariamente pelos usuários, que podem ou não permitir o envio de suas informações. Para acompanhar a evolução do nível de transmissão da COVID-19 nos dois municípios pernambucanos, foi estimado o número de reprodução ao longo do tempo (também chamado de R(t)).

 

Lockdown em Caruaru

 

Caruaru, também conhecida como “Princesinha do Agreste”, é a cidade mais populosa do interior de Pernambuco, com 361.118 habitantes, sendo a cidade com maior destaque do Agreste Pernambucano. É um centro econômico têxtil e de artesanato que abriga um das maiores feiras de céu aberto do Brasil, a Feira de Caruaru, com mais de 28.300 vendedores em um espaço de mais de 40.000 m² de área.

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco notificou o primeiro caso da COVID-19 em Caruaru no dia 23 de março, porém o primeiro caso de contaminação comunitária foi confirmado no dia 27 de março. A primeira morte por COVID-19 em Caruaru foi registrada no dia 10 de abril, e até o dia 12 de julho, a cidade contabilizava 438 casos em investigação, 2.985 casos confirmados de COVID-19 e 183 óbitos pela doença segundo a secretaria municipal de saúde.

O Decreto Municipal nº 024/2020, que entrou em vigor no dia 15 de março, regulamentou medidas temporárias para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da COVID-19, em conformidade com o Decreto Estadual nº 48.809/20, bem como a suspensão de eventos de qualquer natureza com público superior a 100 pessoas, das aulas regulares da rede pública e particular, inclusive universitária, dentre outras. Além disso, antes mesmo de ser identificado o primeiro infectado pela COVID-19 em Caruaru, a prefeitura, juntamente com as prefeituras de Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e o Governo do Estado, suspenderam o funcionamento da Feira da Sulanca (Portaria nº 003/2020) no dia 18 de março; a Portaria decretou também o fechamento de praças, parques, academias. A Portaria nº 004/2020 do dia 20 de março decretou a suspensão do funcionamento de todos os estabelecimentos comerciais e de serviços, exceto os considerados essenciais, como agência bancárias, supermercado, farmácias; e instituiu-se a instalação de barreiras sanitárias móveis através do decreto nº 025/2020, no dia 22 de março.

A prefeitura de Caruaru lançou no dia 01 de maio o Delivery Sulanca, uma plataforma digital para comercialização de mercadorias, onde toda a negociação é realizada através da Internet com um local específico para a coleta da mercadoria. O Decreto Municipal nº 056/2020 apresentou o plano de distanciamento social intensivo, com expansão de barreiras sanitárias e implantação de barreiras restritivas de circulação, válido para o período de 26 de maio à 10 de junho.

No dia 23 de junho, o governo de Pernambuco publicou o Decreto nº 49.133 que estabeleceu regras de lockdown durante 10 dias (de 26 de junho a 5 de julho) para as cidades de Caruaru e Bezerros, como forma de reduzir a circulação da população e assim diminuir o número de reprodução da COVID-19 em ambas as cidades. Durante este período, permaneceram suspensos o funcionamento dos estabelecimentos comerciais (como shopping center, salão de beleza, academia de ginástica), dos prestadores de serviço (como mototáxi), das aulas presenciais nas escolas, universidades e demais estabelecimentos de ensino, públicos ou privados, dentre outros.

 

Lockdown em Bezerros

 

Bezerros possui uma população estimada em 60.789 pessoas e faz divisa territorial com a cidade de Caruaru, pertencendo à mesma microrregião do Vale do Ipojuca. A cidade tem um dos maiores carnavais do interior de Pernambuco e é conhecida como “Terra dos Papangus“.

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco notificou o primeiro caso de COVID-19 em Bezerros no dia 13 de abril. A primeira morte por COVID-19 em Bezerros foi registrada no dia 30 de abril, e até o dia 12 de julho, a cidade contabilizava 08 casos em investigação, 508 casos confirmados de COVID-19 com 25 óbitos pela doença.

O Decreto Municipal nº 2.327/2020, que entrou em vigor no dia 16 de março, regulamenta medidas temporárias para enfrentamento da COVID-19, como o isolamento e a quarentena. Já o Decreto Municipal n° 2.330/2020, de 26 de março, estabeleceu o fechamento de atividades não essenciais e a suspensão do transporte coletivo intermunicipal de passageiros. No dia 29 de maio, a prefeitura publicou o Decreto nº 2.348 proibindo o acendimento de fogueiras na zona urbana e rural para celebração das festividades do São João. Por fim, lembramos que o Decreto Estadual nº 49.133 do dia 23 de junho que estabeleceu o lockdown durante 10 dias (de 26 de junho a 5 de julho) para Caruaru também foi válido para Bezerros.

 

Lockdown em Caruaru e Bezerros: efeitos sobre a mobilidade da população

 

O modelo para estimar o número de reprodução utilizado nesta nota está disponível para download. O número de reprodução representa a estimativa do número médio de novos indivíduos infectados por um único indivíduo ao longo do tempo. Por exemplo, um número de reprodução igual a quatro, indica que uma pessoa infectada transmite em média a doença para outras quatro pessoas. Portanto, para conter a disseminação da doença é importante chegar a um número de reprodução menor que um.

A Figura 1 apresenta as informações epidemiológicas referentes a COVID-19 na cidade de Caruaru, além de informações sobre distanciamento social. A Figura 1(a) representa os números de casos confirmados de COVID-19 por dia e sua respectiva tendência; a Figura 1(b) refere-se a quantidade de óbitos por COVID-19 confirmados por dia e a tendência apresentada; a Figura 1(c) apresenta a estimativa do número de reprodução; e por fim, a Figura 1(d) apresenta a evolução do indicador de isolamento social da InLoco para esse município e em comparação com a média do estado de Pernambuco. Os dados são diários e se referem ao período de 23 de março (dia do primeiro caso confirmado em Caruaru) a 12 de julho (uma semana após o término do lockdown).

Figura 1. Curvas referentes à quantidade de casos de COVID-19 confirmados por dia, quantidade de óbitos por COVID-19 confirmados por dia, estimativa do número de reprodução (R(t)) e distanciamento social da cidade de Caruaru, de 23 de março (dia do primeiro caso confirmado em Caruaru) a 12 de julho  (uma semana após o término do lockdown).

 

A curva de estimativa do número de reprodução de Caruaru apresentou um aumento e uma queda considerável em meados de maio, chegando a atingir um número de reprodução maior que três e menor que um. Durante o mês de junho, a curva se comportou de forma oscilante, chegando ao menor número de reprodução do período durante a segunda semana do referido mês. Durante o período de lockdown, a curva do número de reprodução manteve-se inicialmente próxima a um; com um leve aumento na metade do período e um declínio ao final. Analisando o período de uma semana posterior ao lockdown, percebe-se que o número de reprodução atinge valores menores que um, mas finaliza o período em ascensão.

Vale salientar que durante todo o período analisado nesta nota, apesar da cidade de Caruaru ter apresentado um índice distanciamento social acima da média do estado de Pernambuco, o contexto em que o lockdown foi decretado era de elevado nível de transmissão e de casos confirmados da COVID-19 em Caruaru.

A Figura 2 apresenta informações referentes a COVID-19 na cidade de Bezerros. A Figura 1(a) representa os números de casos confirmados de COVID-19 por dia; a Figura 1(b) refere-se a quantidade de óbitos por COVID-19 confirmados por dia; a Figura 1(c) apresenta a estimativa do número de reprodução; e por fim, a Figura 1(d) apresenta o Índice de Isolamento Social da InLoco. Os dados são diários e se referem ao período de 13 de abril (dia do primeiro caso confirmado em Bezerros) a 12 de julho (uma semana após o término do lockdown).

Em Bezerros, há um comportamento bastante peculiar no dia 08 de junho: um pico de casos confirmados de COVID-19 que reflete diretamente na estimativa do número de reprodução. De acordo com o site oficial da prefeitura, neste dia foi realizada uma testagem em massa no Abrigo de Idosos de Encruzilhada de São João, e dentre os 98 casos confirmados na cidade, 72 eram moradores do abrigo e 6 eram cuidadores de idosos. Esta situação pode ter, inclusive, motivado a publicação do decreto de lockdown para a cidade de Bezerros uma vez que Bezerros apresentou número de reprodução maior que cinco. Apesar desta discrepância pontual, observa-se que a tendência da curva de casos confirmados de COVID-19 em Bezerros é crescente no fim do período avaliado nesta nota.

Observando a curva do número de reprodução de Bezerros, além do pico relatado anteriormente, percebe-se que de 15 a 22 de junho, a cidade alcança um número de reprodução menor que um, porém durante o lockdown, há um crescimento suave no número de reprodução. Analisando o período de uma semana posterior ao lockdown, percebe-se um declínio no número de reprodução.

Também é interessante notar que a curva de distanciamento social de Bezerros teve uma considerável queda a partir de meados de maio, chegando a 35% no dia 22 de junho. Durante o período de lockdown, o Índice de Isolamento Social da InLoco começou a melhorar mas ficou abaixo da média do estado de Pernambuco.

Figura 2. Curvas referentes à quantidade de casos de COVID-19 confirmados por dia, quantidade de óbitos por COVID-19 confirmados por dia, estimativa do número de reprodução (R(t)) e distanciamento social da cidade de Bezerros, de 13 de abril (dia do primeiro caso confirmado em Bezerros) a 12 de julho (uma semana após o término do lockdown)

 

Considerações finais

 

O governo do estado decretou o lockdown de 10 dias para Caruaru e Bezerros sob contextos locais distintos: apesar de Caruaru apresentar níveis de distanciamento social acima da média estadual, o aumento acelerado de casos confirmados e os números elevados e oscilantes de reprodução da COVID-19 eram bastante evidentes. Já Bezerros, cujo distanciamento social esteve abaixo da média estadual durante parte do período analisado, apresentou picos alarmantes do número de reprodução da COVID-19.

Em ambos os casos, o lockdown, que representa a medida mais rígida de distanciamento social, esteve associado a efeitos positivos sobre o distanciamento social (mais pra Bezerros do que pra Caruaru) e ao nível de transmissibilidade da COVID-19 para Caruaru e pra Bezerros.

É importante salientar que uma limitação existente nesta nota é a questão da acurácia dos dados analisados. Apesar de utilizarmos dados oficiais das prefeituras, há outras fontes de dados abertos que refletem números divergentes dos apresentados aqui. Isso se deve a diversos fatores como número de testes realizados, atraso nas atualizações diárias dos boletins, dados faltantes, diferença entre data de óbito e data de notificação, entre outros.

Além disso, as estimativas têm uma grande variabilidade no tempo pois capturam diferentes efeitos, como mobilidade diferenciada nos finais de semanas, testes clínicos, entre outros. Assim, é recomendado que, para relaxar as medidas de distanciamento social, observe-se um número de reprodução menor que um por algumas semanas seguidas.

Vale ressaltar ainda que, de acordo com o portal da Secretaria Estadual de Saúde, desde do dia 13 de julho, a Macrorregião de Saúde II, que engloba Caruaru e Bezerros, avançaram para a Etapa 4 do Plano de Convivência com a COVID-19. Sendo assim, foram reabertas lojas de varejo de rua, salões de beleza e estética, comércio de veículos, construção civil com 100% do efetivo e shoppings centers com atendimento presencial. Em Caruaru, a Feira da Sulanca continua suspensa mas reportagens registraram aglomerações no local no dia da reabertura do comércio varejista na cidade. Portanto, é de suma importância continuar monitorando as curvas apresentadas nesta nota para que, se necessário, novas medidas de segurança sejam tomadas.

 

Patricia Takako Endo é professora adjunta da Universidade de Pernambuco (UPE) e membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Computação (PPGEC/UPE).

Ivanovitch Silva é professor adjunto do Instituto Metrópole Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (IMD/UFRN) e vice-coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e de Computação (PPgEEC/UFRN).

Luciana Lima é professora adjunta do Departamento de Demografia e Ciências Atuariais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (DDCA/UFRN) e vice-coordenadora do Programa de Pós-graduação em Demografia (PPgDEM/UFRN).

Guto Leoni Santos é doutorando em Ciência da Computação da Universidade Federal de Pernambuco (CIn/UFPE), mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco (CIn/UFPE), e graduado em Sistemas de Informação pela Universidade de Pernambuco (UPE).

Kayo Henrique de Carvalho Monteiro é mestrando em Engenharia de Computação da Universidade de Pernambuco (PPGEC/UPE) e graduado em Sistemas de Informação pela Universidade de Pernambuco (UPE).

Gleyson Rhuan Nascimento Campos é mestrando em Engenharia de Computação da Universidade de Pernambuco (PPGEC/UPE) e graduado em Sistemas de Informação pela Universidade de Pernambuco (UPE).

Marcel Ribeiro-Dantas é pesquisador no Institut Curie (UMR168), Mestre em Bioinformática (UFRN) e doutorando na L’école doctorale informatique, télécommunications et électronique (EDITE) da Sorbonne Université (Paris).

Gisliany Alves é graduada em Ciências e Tecnologia e em Engenharia de Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e mestre em Engenharia Elétrica e de Computação (UFRN).

Confira essa e outras análises demográficas também no ONAS-Covid19 [Observatório do Nordeste para Análise Sociodemográfica da Covid-19] https://demografiaufrn.net/onas-covid19

 

Nota originalmente publicada em https://demografiaufrn.net/2020/07/14/lockdown-caruaru-bezerros/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *